A Diversidade Matou America Chavez?

A HQ da America Chavez pode ser cancelada. Personagem de origem latina, é bissexual e negra. Fora a primeira edição, as seguintes sofreram quedas de venda a cada número.

Embora a principal roteirista e a equipe criativa tenham identificação com causas LGBT, as histórias não cativaram o público em geral. Tanto os leitores antigos, quanto integrantes do público que busca mais representatividade nos quadrinhos, não aprovaram as publicações.

Conversei com leitores da HQ em três grupos diferentes que participo, tentando entender porque haviam deixado de acompanhar a heroína que tinha potencial para ser uma excelente personagem do Universo Marvel. Homens e mulheres de diferentes cores, ascendência e orientações sexuais, foram unânimes em dizer que a história não convenceu e que algumas situações pareciam forçadas.

A revista não está entre os grandes títulos da Marvel e alguns leitores acreditam que ela teve pouca divulgação, mas o Rodolfo Graciliano, do Cabrito Nerd, afirmou que esse não seria exatamente um problema já que encontrou divulgação da revista até mesmo em sites sem relação com quadrinhos. Os editores certamente subestimaram seu público ao acreditarem que as pessoas comprariam uma HQ apenas porque há uma personagem que as representa, mesmo o roteiro sendo fraco. Não funciona assim.

Porém, a reclamação dos leitores de quadrinhos não é novidade e nem tem relação alguma com a diversidade, como já havíamos falado aqui no site. O que tenho ouvido de forma recorrente e que foi falado por sites especializados, é que a quantidade de mega lançamentos da editora tem prejudicado a continuidade das histórias e dificultado sua aquisição, já que o intervalo entre elas é pequeno e as HQ não são tão baratas, considerando que os fãs compram vários títulos.

Alguns sites alegam que esses números indicam que quem pediu representatividade, não está comprando os quadrinhos, mas, como lembrou Pedro Bouça, leitor e colecionador de HQ, todos os meses títulos são cancelados ou histórias não têm continuidade e ninguém faz textão pra dizer que a representatividade branca e heteronormativa está destruindo os quadrinhos e a partir de então, não haverá mais histórias de heróis másculos e heroínas semi-nuas, pois os homens não estão comprando.

Se os integrantes dos grupos minorizados não conseguem nem convencer o grupo dominante a deixar de oprimí-los, também não têm poder para determinar as vendas de Quadrinhos.

Para saber mais (dica de Nivaldo Vieira):

https://www.bleedingcool.com/

http://www.comichron.com/

Mais uma análise interessante:

Quadrinhos e preconceito

Dani Marino
Dani Marino é pesquisadora de Quadrinhos, integrante do Observatório de Quadrinhos da ECA/USP e da Associação de Pesquisadores em Arte Sequencial - ASPAS. Formada em Letras, com habilitação Português/Inglês, atualmente cursa o Mestrado em Comunicação na Escola de Artes e Comunicação da USP. Também colabora com outros sites de cultura pop e quadrinhos como o Minas Nerds, Quadro-a-Quadro, entre outros.
  • Pedro Bouça

    Opa, fui citado!

    • Daniela

      Lógico! 😊
      Você é uma referência em quadrinhos!

      • Adriano Borges

        Texto de vingancinha ao artigo foderoso do Contra, da nossa Stalker favorita.

        Já compartilhamos na nossa pagina pra dar uma força, viu?

        Bjs

        • Daniela

          Vamos corrigir: texto profissional em resposta a um outro bem amador, feito por pessoas que não sabem a diferença entre discurso e ódio e opinião.
          Veja a quantidade de eventos para os quais eu sou convidada a falar e perceba que não preciso que compartilhem nada que escrevo, até porque, não quero meu nome associado a pessoas como vocês. 😉
          Mas que bom que leu meu texto. Quem sabe assim você aprenda uma coisa ou duas!

  • Frogwalken

    Me faz lembrar que as tentativas de ” Politizarem Corretamente ” a Vampirella andam um furico! =P

    Eu li o primeiro capítulo da Murica Chavo Del Ocho e não gostei não, sou mais a Kamala KHAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAN!!! Pena que não estão aproveitando o potencial da menina nas últimas histórias…