Narrativa em God of War

O meu sonho era que o Holodeck de Star Trek existisse. Assim, poderia participar de histórias de maneira mais completa, envolvendo todos os sentidos. Mas como isso (ainda) é um sonho, tenho que me contentar com o que já temos. Por isso, sempre busco por jogos que possuam uma narrativa interessante, mesmo que eu não tenha controle nenhum sobre ela…

É o caso de God of War. Nesta trilogia (eu ignoro a porcaria do Ascension), o jogador controla Kratos, um guerreiro espartano que busca redenção após assassinar sua família. Ele faz um acordo com Atena: se matar o deus da guerra, Ares, será perdoado. Infelizmente, mesmo Kratos tomando o lugar do deus da guerra, sua aflição não diminui. Ele acaba sendo traído por Zeus, que retira seus poderes. A partir daí, o guerreiro inicia uma jornada de vingança contra os deuses, auxiliado por Gaia. No fim, ele mata todo mundo e morre.

HDR_002.jpg

Após esse resumo mequetrefe, é importante dizer que, em nenhum momento, interferimos no curso dramático. A narrativa do jogo é passada através das cutscenes como uma forma de recompensa por termos matado um monte de inimigos ou superado algum obstáculo físico. A ação do jogador resume-se à carnificina e ao atletismo. E mesmo nesses casos, não há a opção de não matar ou escolher um percurso alternativo: ou você faz aquilo que o sistema indicou, ou você morre/empaca. O tour que a câmera faz ao entrar em um novo espaço define exatamente aquilo que o jogador precisa (e deve) fazer para avançar.

god-of-war-3screenshot3God of War apresenta uma trama linear e única em que o jogador é apenas receptor da história. Não há nem a possibilidade de conversação, que poderia representar um mínimo de simulação dramática. A história está totalmente pronta, cabe ao jogador apenas acionar o play para assistir (arrancar uma cabeça, por exemplo) – sua ação impacta apenas em pontuação, acúmulo de poderes e armas.

Apesar de ser um jogo 3D, não há de fato exploração espacial com o propósito de desvendar o enredo (embedded stories) – o jogador é obrigado a seguir apenas um trajeto. No entanto, o ambiente é um elemento fortíssimo na sensação de imersão narrativa. God of War é formado por “espaços evocativos”, que fazem referência a histórias, cenários e personagens já existentes – no caso, da mitologia grega. Dessa forma, muito do poder narrativo do jogo vem da oferta de concretização da imaginação do jogador – ver como seria a figura de Ares, uma luta para matar um deus olímpico, o Inferno ou o Olimpo…

God of War, portanto, do ponto de vista narrativo, é um filme intercalado por períodos de ação limitados a eles mesmos – o resultado da ação não interfere no conteúdo do enredo. O controle dramático é totalmente autoral, o jogador não possui autonomia sobre a história. Sua função é de apenas avançar no terreno até alcançar um savepoint com a próxima cutscene. Entretanto, isto em nada interfere na experiência do jogo, pois as aventuras de Kratos compõem um excelente longa-metragem e possuem uma ótima jogabilidade.

No fim, God of War consegue unir muito bem aspectos lúdicos e narrativos, mas de uma maneira completamente independente entre si. E isto permite ao indivíduo escolher o que mais lhe agrada: conhecer a história, superar desafios físicos ou, até mesmo, os dois juntos.

God-of-War-God-of-War-Wallpaper-Widescreen-1-

Se fosse uma entrevista de emprego, diria: inteligente, esforçado e cujo maior defeito é cobrar demais de si mesmo... Como não é, digo apenas que sou apaixonado por jogos, histórias e cultura nerd.
  • Agnaldo Santiago

    Sucinta e direta ao ponto, uma ótima matéria. God of War é um jogo de fúria, um hack and slash bem linear e bem divertido. Acho delicioso assistir esse filme e só mudar a forma como alguns inimigos são derrotados. O cenário e a música sempre me deixaram embasbacados e querendo mais. Num mundo de jogos que buscam cada vez mais uma liberdade, caminhos alternativos, sandboxes, um jogo como GoW, que consegue ser linear sem parecer simplista, é bom demais.
    E Ascension? Que Ascension? XD

  • toddy cogumelo

    Incrivelmente esse foi um bom post Gustavo

    • Gustavo Audi

      Incrivelmente por quê? Escrevo assim tão mal…?

      • toddy cogumelo

        Relaxa, só to te zoando um pouco!

        • Gustavo Audi

          A tá…
          Mas faltou pouco para eu cadastrar seu email em um site pornô e vc ficar recebendo spam de aumento peniano…

          • toddy cogumelo

            Não precisa cara, meu e-mail já tá cadastrado no site oficial da Regina Rizzi e já recebo mensagens de videos novos sempre! hehehe

          • Don Vittor

            Nem sabia que dava pra receber vídeos rs

  • Pingback: Narrativa em Resident Evil 6()