Filme de terror que custou menos 2 mil reais é premiado em festival na Espanha.

A trilogia de curtas-metragens conta com dois filmes prontos e um a caminho. É composta por três partes: Pai (Sem título ainda), Mãe (Cabrito) e Família (Rosalita).

Cabrito recebeu apoio da Ancine para participar do maior festival de cinema fantástico do mundo, sediado na Espanha. Passou também por diversos festivais nacionais e internacionais. O filme conta a história de um homem atormentado pela relação venenosa entre ele e sua mãe, uma senhora rígida e fanática religiosa. Os atores fizeram um excelente trabalho, o que conquistou uma premiação para o filme. O curta é protagonizado pelo ator Samir Hauaji, que ganhou o prêmio de melhor ator no Festival Paura na Espanha.

“E comerás o fruto do teu próprio corpo, a carne de teus filhos e das tuas filhas, que o Senhor teu Deus te deu, no cerco e no estreito, com o qual os teus inimigos te afligem”.

Deuteronômio 28: 53

Rosalita  – Os acontecimentos desse curta se passam meses depois de Cabrito. O filme já começa imerso na loucura do protagonista e reserva cenas bem tensas. Filmado também em Juiz de fora, traz uma trilha sonora regional que compõe muito bem o cenário e mantém a qualidade do curta anterior.

“Amaldiçoados serão os adoradores de deus…”

 

Minhas impressões foram positivas em ambos os filmes, que recomendo muito. A produção nacional recebe pouquíssimo incentivo e filmes independentes com a qualidade dessa trilogia merecem destaque. Tive a oportunidade de conversar um pouquinho com o cineasta Luciano de Azevedo sobre a trilogia.

Glau Kemp: Como o Brasil te inspira para produzir terror?

Luciano de Azevedo :Acredito que o terror no Brasil vem de algo mais oculto e mais visceral, muitas vezes bem regionais, aqui temos crimes de fanatismo religiosos acontecendo quase todo dia, empadas de carne humana, pedaços de corpos aparecendo em praças de grandes centros, aqui em juiz de fora uma mulher matou a outra para roubar o bebê que estava no seu ventre, isso é terror! poucos filmes mostram isso. A Trilogia Cabrito surgiu do delírio de fazer um projeto autoral longe das bolhas pré-roteirizadas que são sempre o mais do mesmo, fazer algo que faça você pensar ou odiar o filme.

Glau Kemp: O que esperar da conclusão dessa trilogia?

Luciano de Azevedo: No prólogo, mostrarei a infância do personagem a origem do fanatismo religioso de sua família e a miséria que os levaram ao canibalismo e será focada no Pai, no filme “Cabrito”, coloquei a mãe como o ponto central da história mostrando como o personagem foi se transformando pela mistura das crenças que sua mãe carrega, em “Rosalita” o personagem seqüestra o primeiro amor de sua vida para tentar construir uma família ao lado do cadáver de sua mãe, grande parte da mitologia criada em Rosalita irá concluir no prólogo, que irá mostrar a história da Rosalita e o misterioso dono do bar, não posso contar muito sobre o final da trilogia porque revelaria o fim, o próximo filme será um longa metragem que contará com as 3 partes juntas e mais as cenas que foram gravadas e não entraram nos curtas. No geral é uma crítica ao mundo de hoje, sobre as crenças religiosas que acabam transformando as pessoas em maníacos.

 

Cabrito Trailer:

https://vimeo.com/129617540

Rosalita Trailer:

https://vimeo.com/202430040

Glaukemp
Escritora e roteirista de terror e suspense, que não tem medo do escuro, mas, às vezes, fecha os olhos quando vai ao banheiro de madrugada. Colunista nos sites Boca do inferno e Iluminerds. Editora da revista Amazing e apresentadora do #TREVOCAST.