Discovery 1×04 (review)

Finalmente um episodio que parece remotamente com Jornada nas Estrelas

O Capitão Lorca está tentando transformar a Discovery em uma nave de guerra, a Discovery originalmente era uma nave cientifica, mas devido os acontecimentos dos episódios passados a guerra aberta entre a Federação e os Klingons começou (culpa segundo todos os personagens da protagonista da serie), porem Lorca gosta da ideia da guerra, alias ele parece gostar do fato que vai caçar Klingons, ele exige então que todos os membros da sua ponte façam testes diários para estarem preparados para um confronto com os Klingons, mas eles ainda não estão prontos já que a maioria deles são cientistas.

O capitão Lorca acredita que os “esporos viajantes da velocidade da luz” (um conceito nunca visto antes na prime line ou seja universo original que discovery se diz fazer parte), podem ser usados como uma vantagem na guerra, pois eles podem simplesmente surgir a qualquer tempo em qualquer lugar, a unica coisa parecida com a explicação dos esporos é o teleporte instantâneo para qualquer lugar dos filmes rebootados ou o pulo do hyper espaço de starwars que funciona de modo semelhante, de qualquer forma ele quer preparar a equipe para quando a tecnologia de esporos tiver pronta para um ataque surpresa no planeta natal Klingon.

O relacionamento entre  a oficial de ciências  Michael Burnham e o capitão Lorca começa a ficar mais intenso, ele explica a ela que é um estudioso da arte da guerra, que ele nunca gostou do fato da Federação pregar o seu pacifismo pela galaxia (isso explica muita coisa sobre o comportamento dele), na sua sala secreta o capitão lorca possui seres aprisionados e cadáveres de alienígenas que ele matou, um deles é um alien que parece muito com os insetos de tropas estelares, o capitão mantem ele aprisionado para analisa-lo já que o Alien matou um pelotão de klingons sozinho e não ficou nem machucado, ele pede para a protagonista tortura-lo e descobrir como o organismo da criatura funciona para criar uma arma, ao que parece agora a tripulação parou de xingar a Michael Burnham de lixo como nos episódios anteriores.

Os Klingons estão fazendo planos para a guerra com a federação, um deles pretende misturar sua tecnologia com a da Federação para criar uma super arma, ao que parece somente a nave funerária klingon tinha a tecnologia de camuflagem, eles resolvem dar essa tecnologia a frota klingon tornando ela mais poderosa ainda, porem eles decidem matar o sacerdote que cuidava da nave funerária pois os klingons não tem mais honra como antigamente, assim o deixam para morrer em uma das naves da federação, o sacerdote e a unica que acredita nele decidem modificar uma nave da federação danificada para sobreviver (porque ao que parece a federação teve tempo de pegar as coisas da capitã da nave mas não explodiram ou deixaram em auto destruição a nave, deixando elas prontinhas para os klingons pegarem).

Enquanto a oficial tática vê a criatura como um animal selvagem, Michael Burnham sugere que seja um ser inteligente e pacifico que só ataque para se defender acusando ela de preconceito com a criatura, mas a comandante e oficial tática explica que todos os aliens que não são da Federação são animais selvagens, assim como o capitão Lorca concorda com ela, mas tudo muda quando os Klingons resolvem atacar uma colonia de mineração que produz quase metade dos cristais de dilitium da federação (que são o que fazem os motores de dobra funcionarem), assim a Discovery é mandada para salva-los, já que de alguma forma os Klingons romperam o bloqueio que protegia esse sistema, agora finalmente a Discovery vai fazer um ato heroico tentando salvar a colonia, só que a Almirante pede para a Discovery fazer um pulo espacial ao hyper espaço (sim estilo starwars novamente), o capitão Lorca diz que vai com certeza conseguir, mas o oficial de ciências dele que criou a tecnologia diz que corre um risco da nave explodir, mesmo assim o capitão Loca manda ele fazer um pulo espacial, ao que parece o tal “alerta preto” é para a tripulação se preparar para o pulo espacial, mas o pulo dá errado e eles acabam caindo em um local estranho, assim eles decidem usar a dobra espacial para chegar no local.

Michael Burnham percebe que a criatura que eles aprisionaram sentiu quando estavam para pular e gritou em desespero, de alguma forma ela pode sentir quando o pulo espacial vai acontecer e se vai dar errado, o que pode ser usado como um navegador para a nave fazer seus pulos, longe dali o oficial de ciências critica o capitão e sugere que vai embora com seus equipamentos, porem o capitão diz que tudo que está na nave é propriedade da frota estelar e que vai acabar com a carreira dele se sair da nave, a oficial de segurança decide testar a capacidade físicas da criatura em meio aos protestos de Michael Burnham, a criatura  mata a oficial de segurança mas conseguem colocar ela de volta na contenção,  o capitão então exige um uso para a criatura ou vão joga-la para o espaço.

A imagem pode conter: 8 pessoas, pessoas sorrindo, texto

Michael Burnham tenta ver se a criatura de alguma forma está ligada aos esporos espaciais, ao que parece a criatura consome esporos e faz parte deles, podendo a criatura saber como controlar o pulo espacial da discovery, eles teleportam a criatura para o laboratório de pesquisa onde os esporos são criados artificialmente, ao que parece a criatura e os esporos formam um elo simbiótico, assim eles pretendem usar isso para  fazer o pulo funcionar.

Usando a criatura e os esporos a nave Discovery chega a tempo para salvar a colonia, além disso usam os esporos como arma para destruir as naves klingons (o que pareceu meio idiota devido aos danos que a nave tomou), mas Michael Burnham não gosta do jeito que estão usando a criatura pois acham que estão torturando ela no processo.

nota 6,5