Iluminamos – Black Mirror: S04E05 – Metalhead

O balde de água fria desta quarta temporada de Black Mirror. Como Metalhead é ruim, jesus.

Não fosse meu TOC em querer tudo organizado e seguir falando sobre cada episódio, eu ficaria feliz em nem ter que escrever sobre algo tão raso e dispensável.

Frustrações à parte, Metalhead nos leva a um futuro pós-apocalíptico causado pela própria humanidade, que insiste em não levar a profecia da Skynet a sério.

A tecnologia que se rebelou contra os humanos é um robô com formato de cachorro/barata, cheio de funcionalidades para atacar e se defender, que tem uma entrada universal em suas “patas” para poder hackear sistemas ou acoplar armas, etc; Agora as pessoas vivem fugindo destes perseguidores implacáveis.

E é só isso mesmo.

"É barata ou cachorro?"
“É barata ou cachorro?”

O episódio não sai desse pega-pega de Robô vs. Humano. A tecnologia do episódio se mostra apenas mais uma ameaça robótica dentre tantas milhares que já vimos em filmes de ficção científica/ação. O máximo de reflexão que este episódio traz é o “como” nosso mundo chegou naquele estado de total destruição. Uma ideia tão batida que só faltaram alguns zumbis no episódio para ficar mais “original” ainda.

Talvez aquelas máquinas se rebelaram após ficarem de saco cheio de tanto bullying humano. Esse robô da Boston Dynamics –que parece com o robô do episódio– que o diga. Aliás, esse troço aí do vídeo me dá um medo absurdo.

No final das contas, Metalhead traz uma ideia que apesar de simples poderia ter nos contado uma história bem melhor. Poderiam ter mostrado o ponto em que a tecnologia se rebelou contra os humanos, talvez até linkar com outros episódios da série. Ficar 40 minutos assistindo um robô caçando a personagem principal, que não tinha lá tantos objetivos além de salvar a própria pele foi bem cansativo.

 

Vamos partir para o tão elogiado “Black Museum” e esquecer Metalhead! Até lá!

Eu sou o caos, senhor Kurtz, caos! E o resto do mundo não irá admitir que é exatamente como eu.

“Listen all you fools. Don’t you know that Carnage rules?”