As razões porque amei a Mulher-Maravilha, de acordo com a internet

Com uma semana de estreia mundial, a quantidade de críticas, resenhas e opiniões sobre o filme da Mulher-Maravilha tem literamente sobrecarregado a internet. Não só isso, diversas análises e textos sobre outros aspectos relacionados à personagem têm proporcionado um aprofundamento na vida de Diana que nunca vimos antes.
Então, imaginei que tudo que eu fosse falar, já tivesse sido falado. De fato foi e este aqui é um deles, que representa muito do que eu penso em relação ao filme e tudo que tem acontecido.

Texto de Vivian Kane, publicado originalmente no The Mary Sue.

Quando saí da sessão da Mulher-Maravilha no fim de semana passado, eu estava fora de mim. Eu amei tanto o filme, me senti tão entusiasmada, tão empoderada, tão entretida. Mas então a confusão se instalou.

Como crítica profissional e alguém que acompanha comentários de internet, passei anos dizendo que não gosto de filmes. Não importa a linha de trabalho do crítico, aos olhos dos leitores, somos odiadores profissionais. É nosso trabalho acabar com sua alegria. Sim, essa é a descrição real do meu trabalho.
Então tentei reajustar os sentimentos do meu cérebro. Eu tentei detestá-lo. Afinal, isso não é apenas um filme – e lembre-se que é meu trabalho derrubar – mas um filme da DC! Se eu aprendi alguma coisa com as coisas que as pessoas na internet me disseram, é que estou contratualmente obrigada a detestar os filmes da DC. Eu posso ter pensado que detestei Batman v. Superman ou Suicide Squad por causa do meu gosto pessoal ou de sua qualidade geral, mas não. De acordo com uma parte grande e muito vocal da internet, jamais gostaria deles. Eu decidi antes do tempo que nenhuma quantidade de majestosa filmagem poderia mudar isso. É tudo político, você não sabia?
Mas espere! Porque agora todos esses caras na internet estão dizendo que minha reação a Wonder Woman é puramente política também. Que eu me decidi por gostar antes de entrar, porque o feminismo e a representação e tudo isso. De acordo com essas pessoas, o filme não era tão bom quanto eu dizia ou como eu tentava me convencer. Provavelmente foi muito ruim, ou talvez tudo bem, eles não sabem porque a maioria deles nem assistiu, apesar de terem ficado extremamente chateados por não terem ido àquela sessão exclusiva. Mas, você sabe, que uma resenha dizia que não era bom quanto eu pensava que era e uma outra só dava nota 1 de um total de cinco.

Por que a Mulher-Maravilha é tão importante?

Isso deve ter sido realmente confuso para o meu cérebro, certo? Eu me pergunto como ele decidiu que lado ganhou: o lado do odiador de todos os filmes DC ou o lado queimadora de soutiens que odeia homens? Uau, escolha difícil. Desculpe por ter passado por isso, cérebro.

A internet diz que eu gostaria de qualquer filme com uma protagonista feminina. Coloque uma diretora  e jogue alguns super poderes e estou surpresa que eu até cheguei ao cinema, mesmo sob toda pressão contra. Eu nem precisava assistir o filme (provavelmente não fiz isso),que eu iria adorar, não importa o que acontecesse. E eu já tinha decidido que, se alguém não gostasse, eles eram obviamente misóginos, esse é o único motivo. Porque de acordo com a internet, este filme não era um filme para mim. Se trata de um panfleto feminista. (Eu pensei que poderia ser ambos, mas a internet me disse que eu estava errada em pensar o que eu pensava).

Mas, então, há o outro lado da internet, concordando comigo! Este filme é uma declaração feminista! É histórico, e serve para empoderar mulheres e meninas em todos os lugares. E eu tenho que admitir, isso parece muito legal para mim.Acho que só sinto que devo me desculpar. Tenho certeza de que deixei alguns de vocês decepcionados. Eu deveria odiar o filme porque eu sou uma crítica, e amo o filme porque estou tentando expulsar os homens de Hollywood. Mas então um filme genuinamente excelente me divertiu e me moveu, e sim eu estava cheia de orgulho por essa conquista. Mas se há uma coisa que eu aprendi de tantas vezes que me disseram isso no Twitter, é que é impossível para uma mulher ter uma reação genuína a qualquer coisa. Então, obrigado à internet, por me informar como eu deveria me sentir  e por que eu deveria sentir isso, e sinto muito se a decepcionei.

Dani Marino
Dani Marino é pesquisadora de Quadrinhos, integrante do Observatório de Quadrinhos da ECA/USP e da Associação de Pesquisadores em Arte Sequencial - ASPAS. Formada em Letras, com habilitação Português/Inglês, atualmente cursa o Mestrado em Comunicação na Escola de Artes e Comunicação da USP. Também colabora com outros sites de cultura pop e quadrinhos como o Minas Nerds, Quadro-a-Quadro, entre outros.