A Mitologia por trás de God of War – Gigantomaquia

Quaisquer informações sobre os mitos gregos são versões de narrativas que já existiam. Isso ocorre principalmente em função da imaginação fértil dos poetas e da credulidade dos povos. É importante citar também que o mito não funciona apenas como uma história de aventura, é também uma ferramenta cultural. Um mito, por mais esdrúxulo que pareça, possui um significado mais profundo.

Os links para os outros títulos da série estão no final deste post…

Tô jogando

Esse episódio não foi utilizado em God of War. A grande guerra citada no jogo envolvia apenas os deuses e os titãs e, com a vitória de Zeus, seu reinado teve início. Mesmo os gigantes não sendo citados em nenhum momento, é interessante tratar deles aqui, pois eles desempenharam um importante papel na formação da gestão de Zeus.

Outro momento relevante na preparação de Zeus, mas tratado de maneira inferior no jogo, foi a luta contra Typhon (Tifão). No jogo, ele é apenas um titã ligado a tempestades e ventanias aprisionado por Zeus em uma caverna após a guerra. Kratos o encontra para libertar Pégaso e adquirir um poderoso arco.

GOW Typhon

Conta como foi, vai…

Gaia, mais uma vez, não estava nem um pouco satisfeita com o desfecho da guerra entre Zeus e os Titãs, pois seus filhos continuavam presos. Para tentar resolver o problema, incitou os Gigantes contra Zeus e sua turma.

É o amor de mãe cegando a razão, sua intromissão apenas serviu para a troca de poderes e mais filhos sendo punidos… Ela fez o mesmo com Cronos, que manteve seus irmãos Ciclopes e Hecatônquiros no Tártaro, e Zeus, que baniu os Titãs após vencer a guerra de 10 anos.

Os Gigantes eram seres imensos, fortes, com densa cabeleira e barba, o corpo horrendo e pernas de serpente. São seres mortais, mas para serem vencidos, precisam ser atacados simultaneamente por um deus e um mortal.

O mito dos Gigantes é um convite ao heroísmo humano. O Gigante representa o que o homem terá de vencer para criar sua personalidade. E isto, claro, só pode ser realizado com a ajuda da religião…

Nova guerra começou. Zeus pediu a ajuda de todos os imortais, mas, a princípio, lutaram somente ele e Atena. A primeira a atender ao chamado foi Estige, com seus quatro filhos (e um deles era Cratos – mais sobre ele, clique aqui), que foram de extrema importância no conflito. Aos poucos, outros deuses se uniram aos combatentes

Como os Gigantes só podiam ser mortos por um deus com o auxílio de um mortal, Heracles foi chamado para participar e acabou matando vários deles.

Alguns gigantes são Alcioneu, Porfírio, Efialtes, Êurito, Clício, Mimas, Encélado, Hipólito, Grátion, Ágrio e Toas.

Após a nova derrota de suas crianças, Gaia uniu-se a Tártaro (outra divindade primordial) e gerou o mais terrível dos monstros: Tifão (outros dizem que ele era filho de Hera e Cronos). Este monstro reunia em uma só espécie toda a violência, cegueira e surdez das forças primordiais. Ele era mais forte que todos os outros filhos e descendentes de Gaia.

Quando Tifão foi visto caminhando em direção ao Olimpo, os deuses fugiram para o Egito, assumindo novas formas: Hera em vaca, Ares em peixe, Dioniso em bode, Hefesto em boi etc. Zeus e Atena foram os únicos a ficar.

Zeus e Tifão travaram uma luta corpo a corpo. O deus acabou aprisionado na gruta Corícia, na Cilícia, mas foi ajudado pelos deuses Pã e Hermes. A luta recomeçou. O monstro fugiu para o monte Nisa. Lá, as Moiras enganaram-no oferecendo frutos com a promessa de que iriam recuperar suas forças, mas que, na realidade, eram venenos que o enfraqueceram.

Zeus continuou a atacá-lo e, finalmente, na Sicília, lançou o monte Etna sobre o monstro, matando-o (Hesíodo diz que ele foi enviado para o Tártaro).

Para fechar a sequência de conflitos de Zeus, após o fim dos Gigantes e de Tifão, Zeus passou por mais um teste – o último antes de conseguir firmar-se como Senhor do Olimpo. Segundo Homero, na Ilíada, Hera, Poseidon e Atena planejaram aprisionar Zeus. Seus planos foram frustrados por causa da nereida Tétis (mãe de Aquiles) que avisou ao hecatônquiro Briareu. Este se deslocou até o Olimpo; sua simples presença foi o suficiente para os deuses desistirem. Zeus, então, castigou Poseidon a trabalhar por um ano para o rei de Tróia, Laomedonte, na construção das muralhas da cidade. Hera e Atena conseguiram se safar…

Zeus traía tanto Hera que seria sacanagem puni-la. E Atena era a filha querida. Nada mais justo…

Olha que bonito!

Encontrar referências artísticas sobre a guerra contra os titãs, gigantes e Tifão foi extremamente difícil. Aparentemente, não são assuntos muito atrativos para as artes plásticas…

Contudo, encontrei algumas obras, principalmente do Altar de Zeus em Pérgamo (remontado em Berlim):

As Moiras combatem os gigantes
Duas Moiras atacam dois gigantes; provavelmente, um deles é Agrios. Séc. II a.C.
Atena, Gaia e o gigante Alcioneu
Atena baixa o sarrafo em Alcioneu (puxa-o pelos cabelos). À direita, embaixo, Gaia suplica pelo filho. Sabemos que é Atena devido ao escudo no braço esquerdo e possível elmo na cabeça; e é um gigante devido à serpente enrolada no corpo. Séc. II a.C.

A imagem a seguir é uma representação de Encélado, morto por Atena e enterrado sob o Monte Etna (assim como Tifão). Ela está na Fonte dos Gigantes, nos jardins do Palácio de Versailles.

Fontaine_de_l Encelade

A gravura do artista francês Bernard Picart, de 1754, mostra a tentativa dos gigantes de alcançar o Olimpo empilhando montanhas.

The Giants Attempt to Scale Heaven by Piling Mountains upon One Another

Segundo a descrição de Hesíodo, Tifão tinha braços dispostos a ações violentas e infatigáveis pés de Deus poderoso. Dos ombros, cem cabeças de serpente, de víbora terrível, expeliam línguas trevosas. Dos olhos, sob cílios nas cabeças divinas, faiscava fogo, e das cabeças, fogo queimava no olhar”. Inclusive, Tifão, junto a Équidna (monstro metade mulher, metade serpente), é pai dos monstros Ortro, Cérbero, Hidra de Lerna, Quimera, Fix (Esfinge) e Leão de Neméia.

Tifao 3
Sabemos que é Tifão, e não um gigante qualquer (devido às pernas de serpente), porque quem o enfrenta é Zeus (com o raio na mão).

Normalmente, opto por obras mais antigas na tentativa de identificar as referencias atuais das representações. No entanto, gostei bastante da imagem a seguir sobre Tifão.

tifon arescronida

Quer ler mais sobre mitologia? Veja abaixo…

Introdução

Quem é Kratos?

Do Caos a Urano

A vez de Cronos

Zeus, o Caçula

Zeus, o Comedor

Guerra dos Titãs e Deuses

Prometeu

Hefesto, Pandora e as Mulheres

Atena

Se fosse uma entrevista de emprego, diria: inteligente, esforçado e cujo maior defeito é cobrar demais de si mesmo... Como não é, digo apenas que sou apaixonado por jogos, histórias e cultura nerd.